Menu Principal


O sucesso não tem preço! PDF Imprimir E-mail

Por Carlos Alberto Julio

Trabalhar bastante já faz parte da vida de quase todos os profissionais que conheço. Aquela jornada de 40 horas semanais há tempos que foi esquecida por muitas organizações. E não é raro nos pegarmos respondendo a e-mails e trabalhando nas horas que deveriam ser lazer, como finais de semana, madrugadas, ou ainda nos feriados.

Parece que ainda sofremos os efeitos colaterais da reengenharia das empresas, que enxugou o quadro de funcionários, e aumentou violentamente o volume de trabalho de todos eles, sem, no entanto, aumentar tão significativamente seus salários e o reconhecimento pelos resultados alcançados.

E esta é uma questão que aflige a todas as camadas hierárquicas das empresas, sejam elas pequenas, médias ou grandes. A situação se faz presente do salão de beleza, no hipermercado e na multinacional.

 

O cenário que temos hoje é de extremo cansaço nas empresas. Principalmente, por parte dos melhores talentos, que por uma questão matemática, assumiram um maior volume de trabalho. Em outras épocas, o medo de perder o emprego determinou muitas de nossas ações e atitudes cotidianas. Hoje, o ambiente pede que se tenha um reconhecimento digno por todo o esforço empregado para a obtenção de resultados significativos. Você anda despontado com o seu reconhecimento?

Pois saiba que menos de um terço dos altos executivos quer ser reconhecido pelo aumento de responsabilidades, e quase metade dos gerentes quer mais responsabilidade, o que nos faz concluir que muito mais que os executivos, os gerentes querem e buscam uma promoção como forma de reconhecimento, bem como oportunidades para crescer e ser reconhecido por toda a organização.

Mas o que será que a maior parte das pessoas busca como forma de reconhecimento? Se você pensa que é o salário, está redondamente enganado. Os trabalhadores buscam hoje palavras sinceras, que sirvam como incentivo para o crescimento. Elas são, comprovadamente, catalizadoras de sucesso nas empresas. E por que fechar os olhos para esta necessidade?

As pessoas querem cada vez mais respeito e valorização. Se você não pode aumentar o salário ou distribuir bônus, cumprimente o seu colaborador por ter feito um bom trabalho. Faça isso com o coração, e descobrirá que a fórmula do sucesso é simples e barata. Experimente: não custa nada e pode ter um valor inestimável para quem recebe!

 

Fonte: www.cnj.jus.br