Menu Principal


O paradigma do tempo na era da informação PDF Imprimir E-mail

Por Rogerio Martins
 
Vivemos a era da informação.

Isso todos concordamos e vivenciamos. Estudo mostram que a quantidade de informação em circulação hoje é tão grande que se torna quase imensurável.

 

Quando eu era jovem – e não faz tanto tempo assim – uma das mais fantásticas formas de adquirir informação de qualidade era através das enciclopédias. Aos poucos foram sendo substituidas por novas formas de mídia até o momento mpresente.

A internet abriu novos horizontes na aquisição e troca de informações e revolucionou tudo. E-mail, MSN, Skype, WWW, Twitter, Wikipedia, blogs etc. Fora tudo isso ainda temos os jornais, revistas, livros, TV, rádio e outros meios de comunicação. E as redes sociais virtuais? LinkedIn, Orkut, Dihitt, Via6, Grupos, YahooGrupos, Facebook, MySpace etc. Ufa!

Interagir, estudar e partilhar informações ficou muito mais fácil e dinâmico. Um choque para alguns da geração enciclopédia (não para mim…).

Como selecionar informação de qualidade?

Este é o grande desafio. O paradigma presente é que toda esta tecnologia veio para facilitar nossa vida e fazer que ganhassemos mais tempo. É o que acontece com você? Para a maioria das pessoas certamente não.

Como selecionar o que realmente é importante? Como ficar atualizado? Se você não assistir o último capítulo da novela não poderá conversar com certas pessoas, mas se também não estiver enteirado das últimas notícias que ocorrem na política internacional… ah, mais um problema.

Que momento é este?

Pois é… o momento não é de desespero, mas estamos chegando quase lá. É impossível ler tudo que circula, saber de tudo. Por isso, a dica é simples: selecione. Evite ler ou se informar somente sobre um assunto. Procure diversificar, mas cuidado com os excesssos. Esta é a parte mais difícil. Separar o que realmente é importante para você. Quanto mais informação disponível maior a possibilidade de dispersão.

Outra dica interessante é seguir profissionais ou entidades que você reconhece como geradores de informação de qualidade.

O mais importante

Lembre-se que a tecnologia é um recurso, mas o convívio pessoal ainda é fundamental para a vida em sociedade. Sendo assim, organize seu tempo para fazer leituras e se informar de modo mais organizado, por exemplo: destine algum horário do dia ou da semana para acessar seu facebook, ler os blogs que interessam, ler um livro, asssistir um programa de TV etc. Diversifique!

Se você gosta de saber as notícias do país e do mundo escolha um jornal, blog ou telejornal, por exemplo, em vez de ler todos os disponíveis para comparar as notícias ou saber outras que um não informou. Acompanhe algum profissional onde você possa saber uma opinião a respeito.

O mais importante é conseguir transformar a informação adquirida em conhecimento. De nada aditanta ter uma prateleira imensa com livros nunca lidos, ou assinar diversas revistas e não ter tempo para ler? Isso tudo é informação desperdiçada. Para transformar em conhecimento é preciso fazer com que esta informação seja colocada em uso.

Converse com pessoas no mundo virtual e no mundo real. Tome cuidado para não parecer aquele chato que tudo sabe, dando espaço e tempo para os outros também se colocarem. A informação adquirida não deve ser utilizada para mostrar aos outros o quanto você sabe mais do que eles. Tudo isso pode e deve servir como uma forma de crescimento pessoal.

O que você faz a respeito?

Como você lida com o excesso de informação? Quais suas estratégias para lidar com toda esta informação disponível? Escreva e conte como você faz para se manter informado e com tempo para fazer outras coisas, ou se não consegue. Ah, obrigado pelo tempo dispensado lendo este artigo.

 

Fonte: www.cnj.jus.br