Menu Principal


Lidere sem medo PDF Imprimir E-mail


Por Cristiane Dias

Quando se fala em liderança, imediatamente pensamos em alguém à frente de uma equipe. E algumas pessoas acreditam que ser líder é apenas ter um papel de destaque, uma questão de status, não é verdade? O que não imaginam é que, para chegar a esse nível, foi preciso muita preparação, afinal, o líder é o “espelho” da equipe.

 

Alfredo Assumpção, CEO e sócio-fundador da Fesa Global Recruiters, explica em seu livro Gestão sem medo, da editora Saraiva, que não é difícil gerenciar uma equipe, basta descobrir como ser feliz no mundo corporativo. Com toda a bagagem de quem já foi indicado pela revista Business Week como um dos mais influentes headhunters do planeta, ele dá dicas para que você lidere cada vez melhor. “As empresas têm de acreditar e se esforçar para criar um ambiente de trabalho que possibilite utilizar na plenitude a inteligência e competência profissional de todos os colaboradores, ao mesmo tempo em que preserva sua visão, valores e missão”, recomenda.

Confira quatro conselhos de Assumpção para liderar sem medo e ser feliz no mundo corporativo:

1. Ambiente de trabalho – As pessoas sabem que, quando o local não é agradável, tudo fica mais difícil. As coisas começam a incomodar e os liderados não se sentem felizes, o que é prejudicial para a equipe. “Você deve criar um ambiente organizacional que busque resultados com felicidade, de imediato e para o futuro, visando atingir o equilíbrio”, explica.

2. Competição – Controle os sentimentos de competitividade que existem em sua equipe. Caso contrário, sua empresa perderá com isso. “Se ninguém gerenciar o sentimento nato de crescimento profissional, teremos um ambiente deteriorado, fazendo com que a organização venha a morrer ainda na adolescência”, justifica.

3. Zona de conforto – Caso esteja em uma empresa que preza o alto desempenho do funcionário, aproveite essa oportunidade e desenvolva-se também. O fato de ser um líder não quer dizer que você vai estagnar no tempo e apenas gerenciar. “Não encontrará felicidade quem trabalha se preocupando em apenas fazer o necessário e ficar na zona de conforto”, adianta.

4. Contribuição das pessoas – Cada colaborador precisa trabalhar como “construtor da máquina empresa”. E você, líder, deve ser o ponto para as peças se unirem e formarem a base da organização. “A contribuição de cada funcionário, por mínima que seja, constrói, reconstrói e mantém a engrenagem empresarial trabalhando com mais harmonia e sintonia, com os desejos e dedicações individuais de todos e desafios organizacionais da companhia”, argumenta.

Depois de conhecer esses quatro pontos importantes para ser feliz no mundo corporativo, lembre-se de um detalhe importante: qualquer ambiente que envolva mais de uma pessoa terá sempre bondade e maldade. Para você contornar essa situação, é preciso equilibrar os fatos e enfrentar os sentimentos e coisas pequenas, como: insegurança, vaidade, covardia, medo, zombaria, manipulação e fofoca. Enfim, acabe com essas pequenas coisas e seja feliz na sua gestão. Aproveite!


*Cristiane Dias é jornalista e escreve para as revistas VendaMais e Liderança.
E-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Fonte: www.lideraonline.com.br, em 6/9/2011.