Menu Principal


Revolução das ciências do comportamento nas empresas: mapeamento de perfil comportamental PDF Imprimir E-mail

 

Por Leandro Abranches Zavam*


As ciências do comportamento cada vez mais incorpora ao Marketing, a Economia e as práticas de Recursos Humanos. Conhecer sobre perfil comportamental é estratégico.

 

Os desafios de manter uma empresa competitiva são inúmeros, uma vez que a dinâmica das variáveis micro e macroeconômicas se potencializaram, em especial, em função da Globalização e do aprimoramento das Tecnologias de Comunicação.

O mercado está mais rápido, complexo e volátil. Logo, se por um lado o ambiente externo (macro) organizacional foge, sobre determinada perspectiva, do controle dos gestores, por outro lado e face disso, a atenção se volta mais uma vez, agora com ênfase cada vez maior, para as pessoas, para as ciências do comportamento e suas relações com o aprendizado, com a performance e com as tomadas de decisão.

 

Como reflexo desse cenário, os conceitos de Neuromarketing e Neuroeconomia se popularizam na literatura, nos congressos, em palestras e no nosso cotidiano. Tais conceitos foram abordados em determinadas edições Economic World Forum e da HSM Experience, isto para citar alguns grandes eventos. A máxima das empresas de “fazer mais com menos recursos” continua e toma formas modernas, mais sofisticadas e científicas…. e com foco no comportamento dos indivíduos. Tanto o Neuromarketing quanto a Neuroeconomia estão interessadas em conhecer a fundo “como as pessoas tomam decisões; como elas selecionam uma opção em detrimento da outra; qual o papel das emoções nas decisões; como cada perfil comportamental reage a determinados estímulos na tomada de decisão”.

 

Uma outra evidência que reforça a importância das ciências do comportamento para as empresas é que o ganhador do Nobel deste ano de 2017, o economista americano Richard Thaler da Universidade de Chicago, desenvolveu seus estudos e pesquisas unindo a economia à psicologia, que é a base da Economia Comportamental. Daniela Frabasile, ao citar os estudos de Richard na sua coluna na Revista Época Negócios menciona: “sua premissa básica é de que os seres humanos não são sempre racionais e que suas escolhas são baseadas em questões subjetivas e culturais – muitas vezes, esses fatores podem pesar até mais do que a racionalidade”.

Agora reflita comigo meu amigo leitor: se até a economia está interessada no comportamento e nas suas nuances, imagine então o quanto as ciências do comportamento moderno inserido de forma eficiente e eficaz nas práticas de gestão de pessoas e Rh podem contribuir de forma estratégica para as organizações, sejam elas de qual porte ou segmento forem! Dentre as diversas metodologias contidas nas ciências do comportamento, neste artigo destaco a metodologia de Mapeamento de Perfil Comportamental Profiler/ Disc.

Mapeamento de Perfil Comportamental Profiler/ DISC

A metodologia Profiler/ DISC é adotada por grandes empresas: Globo Minas, Ibmec, Pirelli, isto para citar algumas. Tal metodologia, em especial, é aplicada em seus processos derecrutamento e seleção, ainda, em suas políticas e práticas de treinamento, desenvolvimento e educação corporativa, o que reflete por sua vez em vários outrossubsistemas de Rh. Em processos de coaching para líderes e gestores, também, nota-se a extensiva aplicação do Profiler/ Disc para otimizar os processos de mudança comportamental.

Conforme o Profiler/ Disc, existem 4 grandes grupos de perfis comportamentais que se combinam entre si em percentuais diferentes. Somos os somatórios das características contidas nos 4 perfis, embora uma (ou duas e as vezes até três) possa se destacar de forma mais contundente. Os perfis são:

I) Perfil da Dominância;
II) Perfil da Influência;
III) Perfil da Estabilidade
IV) Perfil da Conformidade.

Cabe ressaltar que não há “perfil melhor ou pior do que o outro”. Todos possuem aspectos positivos e aspectos a serem aperfeiçoados (desenvolvidos) conforme objetivos, contexto e cultura, tanto organizacional quanto pessoal. Abaixo algumas características de cada dos perfis:

I) Perfil da Dominância: seguro de si e voltado para desafios. Tende a ser mais ousado, ativo, rápido e lógico, logo, seus objetivos maiores estão em superar obstáculos e atingir resultados, portanto, valoriza resultados atingidos. Tende a ser: extrovertido, competitivo, prático, determinado e até parecer autoritário.

II) Perfil da Influência: Em geral, é o tipo que abraça, recebe, acolhe, toca os que estão a sua volta, se mostrando caloroso e através de gestos amplos é receptivo e amigável. Também é seguro de si, principalmente em contextos sociais. Sua ênfase está em influenciar e agregar pessoas. Costuma ser: alegre, extrovertido, simpático, falante, carismático, caloroso e em função dessas características todas pode se tornar um pouco desatento.

III) Perfil da Estabilidade: perfil, embora relacional, tende a ser mais cauteloso, calmo, atencioso, moderado e seletivo no que tange à aproximações, resguardando dessa forma sua privacidade. Sua atenção está voltada à cooperação e o “fazer juntos”. Busca concretizar seus objetivos por meio da dedicação, persistência e continuidade. Tende a ser: introvertido, bom ouvinte, paciente, ponderado, diplomático, rotineiro e sistemático.

IV) Perfil da Conformidade: Possui uma tendência a ser mais reservado e evitar o contato físico, principalmente com pessoas estranhas. É voltado para processos, utilizando para tanto, a lógica, a concentração e seu poder questionador. Costuma também ser cauteloso e ao lidar com as pessoas pode passar uma impressão de frieza e de insensibilidade. Suas características principais são: introvertido, pontual, perfeccionista, preciso, metódico e cumpridor de regras.

Seja no campo da Economia buscando “compreender como as pessoas tomam decisões de investimento (sentido amplo)”, seja no campo do Marketing visando analisar “quais os critérios subjetivos que as pessoas adotam para selecionar suas compras”, ou ainda, na área de Recursos Humanos de modo a “entender mais a fundo como agem as emoções e os processos cognitivos nas mudanças comportamentais, no aprendizado e no aumento de performance”, as ciências do comportamento pelo viés do mapeamento de perfil comportamental são essenciais. Cada perfil reage a uma mesmo estímulo de forma diferente. Além disso, os indivíduos dentro das organizações buscando o autoconhecimento e o autodesenvolvimentotambém se beneficiam.

E VOCÊ, conhece seu perfil comportamental? Sua EMPRESA utiliza? Saiba mais sobre a aplicação do mapeamento de perfil comportamental entrando em contato conosco: www.facebook.com/leandro.zavam/ www.linkedin.com/in/leandrozavamcoach

 

Fonte: www.administradores.com.br - Acesso em 30/11/2017

 

*formado em Administração de Empresas pelo Instituto Vianna Júnior, curso este chancelado pela FGV. Formou-se também em Personal & Professional Coaching pela Sociedade Brasileira de Coaching (SBC) e participou do Seminário Comportamental Empreendedor (EMPRETEC/ SEBRAE). Especializando em Neuroaprendizagem e em Programação Neurolinguística (PNL). Atualmente atua como coach, palestrante e administrador. Atua também como pesquisador no grupo de estudo em Formação de Leitores da pesquisadora, escritora e Doutora em Letras Valéria Pereira. Possui um blog intitulado Leituras e Histórias de um Coach (http://leiturasehistoriasdeumcoach.blogspot.com.br/)