Menu Principal


Anuário mostra como julgam os desembargadores do TJRS PDF Imprimir E-mail

O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul se saiu bem diante do desafio de enfrentar a histórica disposição que fez do cidadão gaúcho um “peleador” contumaz.

É o que mostra o Anuário da Justiça do RS 2010, publicação que traça um interessante perfil do Judiciário daqui. De acordo com a publicação, o Estado gaúcho "tem o mais alto índice de litigiosidade do país, o que não impede que o Tribunal de Justiça do Estado tenha também o mais baixo índice de congestionamento no julgamento de processos".
 
A afirmação está baseada em dados do CNJ, segundo o qual, em 2009, deram entrada no TJRS 3.622 novos casos por 100 mil habitantes, enquanto no TJ paulista essa proporção foi de 1.367 processos por 100 mil habitantes. Ou seja, a segunda instância da Justiça do RS recebeu cerca de duas vezes e meia mais processos a cada 100 mil pessoas do que a de São Paulo.

 

Enquanto no Estado paulista a taxa de congestionamento — índice que mostra a relação de processos que deixaram de ser julgados no ano — foi de 65%, a do RS ficou em 25%. “Foi surpreendente constatar que onde  mais as pessoas recorrem à Justiça, mais eficiente tem sido a capacidade de dar retorno a essa demanda”, diz Maurício Cardoso, editor executivo da publicação, que estará em Porto Alegre na próxima quarta-feira (9) para o lançamento.


Produzido pela revista eletrônica Consultor Jurídico, o Anuário da Justiça gaúcha mostra como julgam os seus 140 desembargadores, que se dividem em 33 Câmaras (22 Cíveis, sendo seis de Direito Público e 16 de Direito Privado),  oito Câmaras Criminais e três Especiais.

A publicação, de 160 páginas, é ilustrada com muitas cenas gaúchas clicadas pelo fotógrafo Leonid Streliaev e será vendida nas principais bancas do Estado e na Internet, pelo saite da Loja ConJur.

SERVIÇO
 
* O que: lançamento do Anuário da Justiça do Rio Grande do Sul, 160 páginas, R$ 40,00.

* Dia: quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011, a partir das 18 h.

* Local: Restaurante do Palácio da Justiça (Praça Marechal Deodoro nº 55, 7º andar), em Porto Alegre-RS.

 

Fonte: www.espacovital.com.br