Menu Principal


Justiça Estadual fará pesquisa sobre qualidade de vida e saúde ocupacional de seus servidores PDF Imprimir E-mail

Investigar a qualidade de vida dos servidores do 1º e do 2º Graus do Tribunal de Justiça e sua relação com o trabalho. Esse é o objetivo geral do convênio celebrado esta semana entre o TJRS e a Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) com a finalidade de levantar, de forma específica, indicadores biopsicossociais relativos aos servidores, de forma a subsidiar um plano de prevenção e promoção da saúde.

A pesquisa foi desenvolvida pelo Grupo de Pesquisa em Psicologia da Saúde Ocupacional e pelo Núcleo de Estudos e de Pesquisa em Trauma e Estresse do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da PUCRS. A coleta de dados da mostra quantitativa será realizada eletronicamente no período de 14 a 23/9. 

A aplicação do questionário será aleatória, por sorteio com base no número de matrícula, e abrangerá uma amostragem de 2.217 dos 8.000 servidores ativos das duas instâncias da Justiça Estadual. Os sorteados receberão os instrumentos de pesquisa em suas caixas de correio eletrônico. Vale ressaltar que a fórmula utilizada não permite a identificação de quem respondeu à pesquisa.


Metodologia


Para chegar aos resultados esperados, serão utilizados quatro instrumentos científicos específicos. São eles: WHOQOL-bref (método que avalia níveis de bem-estar e qualidade de vida); CESQT (questionário para avaliação da Síndrome de Burnout, ou seja, estresse ocupacional); Self-Reporting Questionnaire – SRG-20 (avalia a ocorrência de transtornos mentais comuns); e Escala de Estressores Ocupacionais quanto ao Nível de Estresse com Relação a Determinados Aspectos da Organização do seu Trabalho (como área de atuação; carga horária; carga de trabalho; diversidade de trabalho; complexidade do trabalho; público que atende; relação com os colegas e com a chefia; condições físicas de trabalho; organização do trabalho; conciliar trabalho e família; conciliar trabalho e lazer; e outros estressores).

De acordo com a Coordenadora da Pesquisa no âmbito do Tribunal de Justiça, Assessora Rosália Maria Costa Fonseca, o participante levará em torno de 15 minutos para responder a pesquisa. É interessante que o pesquisado planeje esse tempo para responder às questões sem interrupção, pondera Rosália. Segundo ela, a expectativa é de que no mês de novembro a PUCRS apresente os resultados da pesquisa quantitativa.

Na sequência será feito um levantamento qualitativo, com um grupo de 25 pessoas, no qual serão priorizados os Oficiais de Justiça, antecipa Rosália. Essa prioridade aos Oficiais foi dada porque, estatisticamente, eles ocupam o cargo em que é registrado o maior número de afastamentos para tratamento de saúde e, proporcionalmente, há o maior registro de aposentadorias por invalidez.    

Resultados esperados


De posse dos resultados da pesquisa, a Administração do Tribunal de Justiça espera contribuir para a melhoria da qualidade de vida no trabalho dos servidores e, consequentemente, reduzir os índices de afastamento do trabalho por problemas relacionados à saúde. A pesquisa permitirá o mapeamento de possibilidades de intervenção em nível preventivo e de reabilitação, por meio do desenvolvimento de um Programa Prevenção e Promoção à Saúde.

 

Fonte: www.tjrs.jus.br